Categorias
Críticas

O futuro como festival da fé em Divino Amor

O Brasil em 2027. Se o exercício é o de imaginar como vamos estar organizados como sociedade daqui a 18 anos, múltiplas respostas montam um mosaico de cenários: economicamente instáveis; reféns de uma política autoritária; esperando a volta do Messias; menos laico que nunca. O diretor Gabriel Mascaro (Ventos de Agosto; Doméstica) apresenta uma distopia […]

Categorias
Coberturas Críticas

O impulso bruto em A Rota Selvagem

A habilidade humana de adaptação e a fixação no território nos fez evoluir. Não mais nômades, nos movemos conforme necessidades pessoais paralelas à existência. A relação com a natureza se intensifica com a permanência, a agricultura e criação de animais também nos fez avançar progressivamente rumo à sociedade hiperconsumista que temos atualmente.  Estágios da história […]

Categorias
Críticas

A ausência da presença em Os Jovens Baumann

Oito pessoas jogam “queimada”, uma brincadeira que consiste em tentar eliminar o outro com o arremesso de uma bola. Ao encostar no jogador adversário o mesmo deve sair. Essa recreação é conhecida também sob o nome de “jogo do mata”. É com uma sequência desse jogo que o longa Os Jovens Baumann (2018) se inicia. Podemos interpretar […]

Categorias
Artigos

Mulheres no Cinema: Dee Rees

Formada pela Universidade de Nova York, a diretora e roteirista estadunidense Dee Rees vem se destacando nas principais premiações de cinema do mundo. Negra e lésbica, a cineasta não deixa de abordar raça, gênero e classe em suas obras. Seus filmes são preenchidos por sua vivência, o que os torna tão viscerais e potentes.

Categorias
Críticas

Eu, Tonya e as imperfeições do herói

A imagem do herói é construída principalmente através de seus problemas, a maneira com que vence os desafios à procura de sua recompensa. O conceito da Jornada do Herói na narratologia cria o imaginário de que é preciso sofrer para alcançar o que se almeja. Basicamente foi nesse estereotipo que o cinema industrial se edificou, principalmente na […]

Categorias
Críticas

O poder simbólico em O Estranho que Nós Amamos

O grande trunfo da psicanálise foi a descoberta do inconsciente, porém sua relação com a sexualidade e a repressão não é tão eloquente e não se sustenta se analisada em uma estrutura social ou de gênero. Freud reconhecia a soberania do homem e a representava no pênis, mas nunca se propôs a analisar a origem, […]

Categorias
Críticas

O estranho paraíso de Aronofsky em Mãe!

No cristianismo, o pecado original é a doutrina da imperfeição humana, do mal e do sofrimento, é a queda do homem por ele mesmo. Adão e Eva gozavam do paraíso antes da chegada do intruso. A Serpente surge no Jardim do Éden para instigar os dois habitantes da terra a cometerem o único delito que […]